Zara Larsson concede entrevista para Paper Magazine e posa pra fotos exclusivas ◂ Zara Larsson Brasil


Zara Larsson concede entrevista para Paper Magazine e posa pra fotos exclusivas

Zara Larsson concede entrevista para Paper Magazine e posa pra fotos exclusivas



Zara Larsson concedeu uma entrevista incrível para a Paper Magazine falando sobre feminismo e muito mais, confira abaixo a tradução completa.

Sueca, cantora e compositora, 18 anos, Zara Larsson pode ser jovem, mas ela é sábia para alguém da sua idade. Após ganhar a versão sueca do Got Talent América, ela lançou seu álbum de estreia, TALANG, que ganhou disco de platina em sua terra natal. Agora ela está trabalhando duro para gravar o seu sucessor. Ela escreveu um ensaio para a PAPER sobre os padrões duplos e mensagens negativas das quais mulheres jovens estão constantemente sujeitas, encorajando-as a lutar contra as exigências da sociedade por uma conformidade feminina.

Como meninas são retratadas na mídia? Isto é, em revistas, na internet ou em anúncios publicitários. Elas são retratados da forma como eles realmente são? Nós garotas somos talentosas e inteligentes. E garotos, com certeza, também pode ser hábeis e inteligentes. Então não pode haver quaisquer diferenças na forma como mulheres e homens são retratados na mídia. Somos todos iguais e retratados de forma igual. Isso é reconfortante. Mas isto é verdade? Realmente não.

Pesquisas já confirmaram que os homens são de Marte e as mulheres são de Vênus. Todo mundo sabe que há muita coisa que separa homens e mulheres, tanto que é óbvio dizer que viemos de dois planetas diferentes. É evidente em quanto às meninas gostam de limpeza, fazer o seu cabelo e colocar maquiagem. Os meninos, por outro lado, são sempre fortes e musculosos e podem levantar milhares de libras com o seu dedo mindinho. Por exemplo, embalagens de brinquedos para as crianças mostram que as meninas gostam de cuidar das coisas. Elas querem noivos, cavalos e vestir bonequinhas com vestidos cor de rosa, enquanto os meninos são naturalmente atraídos à coisas mais legais ou coisas escuras, como dinossauros carnívoros. Você não precisa de muito mais provas do que isso para entender que meninos e meninas são muito diferentes uns dos outros. Uma mulher nunca seria capaz de trabalhar em alta gerência de uma grande corporação. Isso é um absurdo!

Deixando as piadas de lado, isto é exatamente o que as crianças são ensinadas a acreditar desde cedo, apesar de sabermos que as meninas são tão capazes de fazer tudo o que os garotos fazem. Nas propagandas, mulheres e homens são retratados de forma muito diferente, talvez em primeiro lugar, porque as empresas querem maximizar as vendas. Nós também aprendemos desde cedo que ‘o comportamento do menino é diferente do da menina’. Se um menino está provocando ou batendo em uma menina, é possível que ele é simplesmente interessado nela. A violência é rejeitada e atribuída a “meninos sendo meninos.” Somos ensinados desde cedo sobre que é certo ou errado, como você é deve supostamente agir, o que você deve parecer, e sobre o que você deve se interessar. Torna-se impossível crescer e descobrir por si mesmo como você quer crescer como pessoa, porque em toda parte em torno de nós existem moldes pré-estabelecidos que sejam supostamente para se adequar. Isto não é a biologia, é algo que chamamos de gênero.

Diferentemente do conceito biológico de sexo, gênero é considerado uma construção social, que carrega as expectativas de como as pessoas agem. Gênero não é criado externamente para nós mesmos, mas sim como todos sendo criadores onde construímos a nós mesmos como masculino ou feminino. Esta construção pode ser encontrada em uma variedade de contextos, como na linguagem, em que adicionamos pesos para palavras com os valores e diferenciação de status. Em nossa linguagem cotidiana, usamos palavras para descrever o que somos, por exemplo, “menina”. Associada a essa palavra temos várias outras palavras, como “doce”, “rosa” ou “bonita”, enquanto “menino” pode ser associado a “difícil”, “azul” e “forte”. Aqui a linguagem traz uma expectativa de como ser, quando se trata da palavra “menina” ou “menino” você é ensinado quando criança que há uma diferença entre os dois, provavelmente antes que você esteja ciente disso. Você sabe que você é uma menina, porque você disse isso.

Estas expectativas estão diretamente ligadas à sua identidade de gênero, que são culturalmente e socialmente construídas. Ser uma mulher pode de fato ter um significado biológico, uma vez que nossa anatomia pura parece diferente. Mas acrescentadas uma série de construções sociais que não são biológicas, portanto, também não deveria me afetar como uma mulher. Mas precisamente porque são construções culturais e sociais que é exatamente o que eles fazem – têm um efeito.

E não termina na infância. Isso nos afeta ao longo dos anos. Eu acho que é terrível como nós retratamos garotas em anúncios. Espera-se que elas sejam sexys, mas não se queiramos ser nós mesmas. Por toda a parte, na comercialização de perfumes, carros e bebidas alcoólicas, as coisas que realmente não têm nada a ver com o corpo feminino, com (rufar de tambores) … o corpo feminino. O que se está realmente dizendo é que uma mulher é algo que deve ser usado para vender outra coisa. As mulheres são vistas como objetos e são reduzidos à sua aparência, o que a sociedade aparentemente pensa que é totalmente bom. O corpo feminino é consumido e é propriedade da sociedade.
Mas logo que alguém decide possuir sua sexualidade, para abraçar seu corpo em seus próprios termos, então parece que é a pior coisa que alguém já viu. Para mostrar o seu corpo e expressá-lo como você sente é um grande NÃO. Um belo exemplo disso ocorreu quando Kim Kardashian colocou uma selfie de si mesma que estava em sua própria casa de banho completamente nua no Instagram. A imagem foi censurada, talvez por causa da política do Instagram, já que há mamilos femininos, e não estão autorizados a ser mostrado. (Outra forma de sexualizar o corpo). Um monte de sobrancelhas foram levantadas e muitos vieram com tudo dizendo: “Você não pode fazer isso!” Porque ela é uma mãe! E MODELO! Uma mulher que faz essas coisas por si mesma é sempre o inimigo numero um da sociedade. Isto, meus amigos, é sem-vergonhice. O que é considerado sexualmente inaceitável é dependente da cultura, que pode incluir ter múltiplos parceiros sexuais, ou vestir-se em trajes provocantes. Em outras palavras, algo do qual os homens jamais seriam acusados. Homens na música também, muitas vezes cantar sobre as mulheres que eles têm transado e quão ‘vadia’ elas são ou o quão desleais, alguns falam coisas mais pesadas. Se o toque de um homem faz alguém sujo, então… O que está em suas mãos?

Em outras palavras, as mulheres podem muito bem ser vistas se os seus corpos são visíveis. Mas elas são, infelizmente, sub-representadas como sujeitos da notícia, o que é problemático uma vez que existe um risco de que as experiências e perspectivas das mulheres sejam negligenciadas ou completamente ausentes. As mulheres representam metade da população mundial, mas quase não aparecem em um quarto do fluxo de notícias global. Isto confirma a estrutura de poder onde as mulheres estão subordinadas e os homens dominam. Que a proporção de mulheres do conteúdo de notícias sueca e global é relativamente baixa podendo, em certa medida, ser explicado pelo fato de que as mulheres ainda têm menos poder político e econômico do que os homens, o que significa que há uma grande desigualdade em outras áreas, que é o que o jornalismo ilustra.

É claramente definido como as mulheres devem e não devem se apresentar. Há uma série de critérios esperados para que uma mulher viva. Por exemplo, ela deve ser graciosa, passiva, pura, suave, doce, delicada e magra. Não é suficiente apenas parecer-se como uma mulher, você também precisa agir como uma e, seguindo estes códigos que foram culturalmente construídos, nós tornamos mulheres. Estas são todas as construções sociais que aprendemos através da educação e por elas próprias formamos um discurso com base num acordo socialmente construído.

Ser o oposto das características acima mencionadas é considerado provocativo e não feminina. Para jurar e abraçar sua sexualidade, ou apenas se desviarem da norma, não se atinge algo se você está a ser um verdadeiro “modelo” ou uma “mulher respeitável”, de acordo com muitos. Por outro lado, os homens podem se comportar da forma que quiserem, e ainda ser elogiado aos céus. É raro que homens sejam chamados de modelos. Por que as mulheres têm a responsabilidade de criar a próxima geração quando elas mal têm um papel no aparelho político e estão perto da inexistente cargos de liderança em grandes empresas? Homens são esperados para ser competente. As mulheres têm de provar que são competentes aos olhares de todo o mundo. As mulheres não podem jurar, não pode abraçar sua sexualidade, não pode gritar. Elas podem ser interpretadas como ofensivas. Mas o que é mais ofensivo? Uma menina dizendo “foda-se”, ou como a sociedade trata as meninas e mulheres? Uma mulher que mostra seu corpo no Instagram ou ser estuprada? Isto está ocorrendo em todos os lugares, o tempo todo. E isso é porque nós continuamos projetando a imagem antiga de como uma mulher deveria estar na mídia.

Parem de fazer isso!

Tradução por: David Andrey

E além dessa entrevista incrível, ela posou para as lentes do fotógrafo Eric T. White e fez um ensaio fotográfico lindo. Confira as fotos clicando nas miniaturas abaixo.