Zara Larsson fala sobre novo álbum, obsessão por rapper e planos para o verão ◂ Zara Larsson Brasil


Zara Larsson fala sobre novo álbum, obsessão por rapper e planos para o verão

Zara Larsson fala sobre novo álbum, obsessão por rapper e planos para o verão



Zara Larsson é a sensação pop sueca que encontrou sucesso no exterior após o lançamento de seu single “Lush Life” e “Never Forget You“, seu dueto com o MNEK. Hoje ela desvenda o vídeo glamoroso de seu novo single “So Good” com Ty Dolla $ign e uma pia cheia de brilho.

Lançada na semana passada, a última faixa de Larsson oferece uma ligeira mudança de ritmo após os singles anteriores “I Would Like” e “Ain’t My Fault“. “So Good” é apenas isso, tão bom, é um música romântica e ao mesmo tempo adere às raízes definitivamente pop de Zara Larsson, ela mostra um lado diferente da artista e dicas sobre a diversidade de estilos musicais que irão caracterizar no comprimento total de seu próximo álbum escrito por ela.

Na Suécia, “Lush Life” de Larsson foi o hit de verão atingindo o número um e alcançando seis vezes platina, lançado originalmente em junho de 2015, eles tiveram seu tempo antes de dar um bom lançamento no Reino Unido.

O single de acompanhamento “Ain’t My Fault” reativou o hype e mais uma vez Larsson estava em todo o Reino Unido, incluindo uma performance estelar na festa anual da VEVO, vestida como Malévola. Para o final do ano, Larsson estava de volta com um estrondo, sem notícias do novo álbum, mas com outra música nova “I Would Like“, que se tornou seu maior peak nos charts do Reino Unido atingindo o segundo lugar – em parte graças a uma performance no BBC Music Awards onde ela se destacou como artista mais emocionante na conta.

Enquanto as campanhas de Larsson continuavam as perguntas sobre o álbum e sua data de lançamento foram respondidas com a palavra “em breve“. “EM BREVE” teve uma vida própria dentro da comunidade de fãs de Larsson: memes, memes e mais memes, alguns dos quais foram retuítados por Larsson, continuaram chegando anúncios de dia de lançamento e sendo cancelados. Com o seu álbum de estreia internacional, “So Good”, confirmado para 17 de março deste ano, chamamos Zara em LA para conversar sobre o álbum e o novo single de mesmo nome.

Você está animada para compartilhar o vídeo da música “So Good“?

Sim, é muito glamoroso, divertido e tem muita personalidade. Eu acho que parece coisa de rico. Eu me diverti muito fazendo isso. Eu divertia muito no set, foi um dia muito bom e não houve nenhum problema. Ty foi bem humorado, ele foi realmente muito divertido. Todo mundo teve um ótimo dia. Eu amei muito. Eu me diverti muito. O vídeo tem este filtro perolado lindo nele e aquilo que faz as coisas brilharem e tudo parece tão suave.

Você acabou de soltar a capa do álbum, a pré-venda vai sair até à meia-noite e o álbum será lançado em 17 de março, momentos emocionantes, como está indo tudo?

Eu sei! Eu me sinto tão mal, porque eu tenho dito “logo”, “logo”, “logo”, “logo” e eu sou basicamente a única pessoa que quer liberá-lo, ninguém está tão animado quanto eu. Então eu estou realmente feliz por estar finalmente acontecendo, que as pessoas podem finalmente pré-encomendar e eles podem ver a capa do álbum.

Eu amei a capa, você tem alguma entrada com o seu design?

Nós mudamos de um lado para outro, para frente e para trás e eu me sinto tão mal sobre as pessoas que trabalham comigo, porque eu mudo minha mente no último minuto. Eu sou como “NÃO NÃO NÃO PARE! ISSO NÃO É O QUE QUERIA. “Eu queria essa foto em vez disso, nós tínhamos outra, mas não era tão boa. Minha capa é um “Por trás das câmeras” a foto é de uma cena [do vídeo de música “So Good“], que eu amei e eu queria ela como minha capa. [A foto da capa do álbum] é na verdade de um photoshoot com uma revista e eu só gostei dela.

So Good Cover


Você coloca um monte de pensamento sobre a marca e trabalho artístico, bem como a música?

Eu gostaria de fazer mais do disso que eu faço. Eu sou meio que uma pessoa bagunçada, eu geralmente acabo de chegar ao estúdio tentando escrever tantas músicas boas quanto possível e cantá-las o melhor que puder, porque é basicamente o que eu faço. Eu realmente não sei o que eu quero, mas tenho muita certeza do que não quero.

Para muitas pessoas, “So Good” é seu primeiro álbum, você sente pressão para lançá-lo?

Absolutamente, especialmente porque eu tenho adiado por tanto tempo e os singles que eu tenho lançado foram realmente bem sucedidos. Eu só espero que o álbum seja tão bem sucedido quanto “Lush Life” foi na Europa ou “I Would Like“, que foi um grande sucesso no Reino Unido, ou “Never Forget You“. Foi realmente muito bom para mim, então é claro que estou nervosa. Eu quero que ele atenda às expectativas, porque eu acho que as pessoas têm expectativas realmente altas.

Em termos de “1” [primeiro álbum de Larsson lançado na Suécia] e “So Good“, qual você acha que são as principais diferenças?

Eu sinto que este álbum ainda é pop, muito pop, mas tem um pouco de tudo. Em minha opinião “Lush Life” é muito diferente de “Never Forget You” e “Never Forget You” é muito diferente de “So Good“, que é muito diferente de “Ain’t My Fault“, então eu sinto que há um pouco de tudo, mas a maioria das canções que as pessoas ouviram e as músicas que eu estava lançando são mais divertidas, porém há definitivamente algumas músicas mais pesadas, mais dark no álbum, baladas e outras coisas. Como [em uma voz triste] “oh! Meu coração..” e tals. Eu sinto que eu tenho isso no sueco também.

Você acha que parte dessa melhoria veio de você ser parte do processo de escrita?

Eu acho que sim, apesar de eu não ter escrito “So Good” eu tinha trabalhado com Lunchmoney Lewis antes, eu tenho trabalhado com J Cash bastante, e Charlie Puth também. Isso é geralmente o que acontece com as músicas que eu não tenho escrito, as pessoas têm escrito comigo e trabalharado comigo antes, e eles vão pensar “talvez devêssemos dar isso para Zara, isso soa como uma canção Zara”. Vai ser uma parte ainda maior do próximo álbum, a parte da escrita.

A lista de faixas para o álbum ainda está para ser revelado, nós vimos você no festival Way Out West em Gotemburgo no ano passado e que você tocou uma música chamada “Permission“, que nós amamos, e estamos nos perguntando se ela vai estar no álbum?

Eu nem tenho mais certeza, estou muito positiva, eu acho que poderia ser apenas uma faixa bônus – por isso, se você está streamando o álbum pode ser que você seja capaz de ouvi-lá.

Você terá escrito e trabalhado em muitas canções para o álbum, desde que começou o processo de desenvolvimento do álbum, como você decide qual cortar ou deixar nele?

É apenas algo que você sente dentro de você, eu não sei o que é, não é como se eu estivesse escutando algo em particular, como um certo progresso neste coro com este acorde. Eu realmente não escuto música assim. Uma boa canção é uma boa canção e faz você sentir algo ou faz você dançar ou se sentir feliz, isso faz de você o que quer que seja e isso é exatamente o que eu vou fazer. Eu me comprometo um pouco com a minha gravadora com as músicas que eu gosto, digamos que se eu escolher doze músicas que eu amo, eles podem dizer bem, vamos colocar seis destas no álbum. Eu estou bem com isso, mas se você gosta de uma música você simplesmente gosta dela, você realmente não sabe o por quê, isso só faz você se sentir bem, mesmo que isso faça você se sentir triste. É aquela coisinha que você não pode colocar no dedo. Eu realmente não tenho uma visão ou um conceito para este álbum, a única visão que tenho é ter um álbum pop realmente grande. Há definitivamente canções no álbum que eu sei que nunca serão número um, que nunca será jogado na rádio, mas algumas delas tem essa vibe, eles são uma melodia e eu adoro isso. Você quer colocar essas músicas lá, mas você realmente não sabe por que você gosta. Eu só quero fazer um bom álbum pop. Por exemplo, há uma música chamada “Make That Money Girl”, eu sei que nunca será bem sucedida na rádio, mas tem uma mensagem muito legal e apenas adiciona algo mais para o álbum.


Quando você está viajando e fazendo todos os passeios de imprensa para os singles e agora o álbum, você sente falta de casa e da Suécia?

Claro que sim, eu sinto falta da minha família e eu sinto falta dos meus amigos, é difícil às vezes, mas eu realmente gosto de L. A. Eu sinto que esta é a minha segunda casa quase. Sempre que passeo um tempo aqui, e me sinto muito bem, mas sinto muita falta da minha família e amigos.

Qual é a primeira coisa que você sempre faz quando chega em casa?

Eu sou muito ruim em desempacotar, então eu deixo minhas malas durante o tempo que eu puder e só arrumo elas antes de eu sair novamente. Eu tento passar tempo com minha irmã e minha melhor amiga, nós geralmente vamos ao cinema. Em casa eu fica numa boa em pijamas ou na casa da minha melhor amiga, de pijama.

A Suécia tem uma rica herança de música pop, bandas como ABBA influenciaram você de alguma forma?

Não realmente, eu não estava ouvindo esse tipo de banda quando eu estava crescendo. Eu sou um pouco jovem demais para isso, nenhum adolescente sueco ouve ABBA ou The Cardigans, mas eu sinto que tenho muita sorte graças a esta grande história de músicos, produtores e escritores que vieram da Suécia porque as pessoas olham diferente. É ter a prova e ver que o povo sueco pode fazer isso. Eu sinto que eles meio que pavimentaram o caminho para vir para a América, eu me sinto agradecida e realmente sortuda por causa disso.

Aqui na The Line Of Best Fit nós cobrimos um monte de artistas novos e emergentes da Suécia e do resto da Escandinávia, então em termos de artistas suecos mais atuais, quem você está ouvindo?

Eu amo Seinabo Sey. Eu amo Sabina Ddumba, ela é grande, há alguns grandes artistas pop. Obviamente Tove Lo. Tove Styrke. Icona Pop, eu os amo, temos algumas boas garotas pop definitivamente. Eu escuto um monte de hip-hop. Eu gosto de J Cole ou como Chance The Rapper, mas não é como eu conheço cada uma de suas canções, mas eu sei muito bem todas as músicas de Ty Dolla $ign. Eu sou obcecada, eu o amo, e eu não acho que as pessoas sabem o quanto eu o amo. Estou apenas ouvindo a lista “Get Turnt” no Spotify que tem como Migos e Drake, Kehlani, no entanto, eu adoro o novo álbum.

Você ouve algum hip-hop sueco?

Eu ouço, na verdade, quando eu não estou Suécia porque eu sinto que eu sinto falta. Embora eu não seja realmente afim de música em sueco, porque há uma linha tão fina entre ele ser bom ou foleiro. Eu sinto que posso dizer muito mais coisas ou eu posso ouvir mais coisas [em inglês], soa melhor, porque não é tão perto de mim. Se eu canto algo em sueco, parece que estou “forçando demais” e se estou ouvindo algo em sueco, eu sou como “oh, meu Deus, acalme-se”, mas se você está ouvindo algo ou escrevendo algo em inglês eu posso ser um pouco mais dramático e não me sinto engraçada sobre isso porque não é minha primeira língua. O hip-hop sueco é legal, mas eu gosto do novo hip-hop da escola, como o hip-hop de Atlanta, mas não temos isso na Suécia.

Você está vindo para o Reino Unido neste verão para tocar em alguns festivais. Você tem planos para seus próprios shows já, ou você ainda não tem nenhuma data marcada para isso?

Estou muito animada, mal posso esperar para sair e fazer os festivais, porque eu sinto que, embora 2016 foi um grande ano para mim, eu sinto que eu não estava no palco suficiente. Após os festivais e tals, eu definitivamente vou fazer a minha própria turnê, seja ela abrindo shows para alguém ou fazenndo a minha própria turnê, pelo menos na Europa. Eu acho que seria realmente incrível, porque eu amo a minha banda e sei que teríamos um grande momento, se não um grande show. Viver é vida. Se eu estou tocando em um festival e estou fazendo uma hora eu quero incluir minha banda e não apenas fazer soar como o álbum gravado. Eu amo reorganizar as músicas e torná-las mais longas, torná-las mais curtas, ou fazer um medley, ou seja o que for. Essa é a parte agradável de fazer as coisas ao vivo, você pode fazer um pouco do que quiser.

“So Good”, o álbum, estreia 17 de Março.