Zara Larsson deveria entrar na política, segundo ministra da Suécia ◂ Zara Larsson Brasil


Zara Larsson deveria entrar na política, segundo ministra da Suécia

Zara Larsson deveria entrar na política, segundo ministra da Suécia



Não é novidade para ninguém que Zara Larsson não tem medo de falar o que pensa, mas a novidade é que a ministra das finanças sueca, Magdalena Andersson, disse que Zara deveria ingressar no mundo da política.

No começo de julho, em um encontro político que aconteceu na cidade de Almedalen, na Suécia, a ministra financeira participou de um jogo de perguntas e respostas rápidas para a SVT, e quando perguntada qual artista deveria se tornar líder de um partido, ela optou por Zara. “Zara Larsson. Eu acho ela muito boa – e forte. E ela tem muitas opiniões. Uma forte feminista. Eu acho que ela se sairia muito bem,” disse Andersson.

Na ausência do Primeiro Ministro sueco, Stefan Löfven, Andersson foi representando seu partido e fez um discurso em favor das mulheres, abordando o alto número de assédio sexual. “Na minha Suécia, jovens mulheres devem poder se locomover com liberdade, vestindo o que elas quiserem, agindo como desejarem e dançando a noite toda. Com alegria, liberdade e segurança. E com dureza e firmeza, nós vamos lutas contra o assédio e o abuso sexual. A violência de homens contra mulheres será parada.” disse Andersson em seu discurso.

A escolha de Magdalena por Zara para encabeçar um partido é óbvia, com apenas 19 anos, Larsson não tem medo de expressar sua opinião. No último ano, Zara foi manchete quando chamou os homens de porcos em resposta a abusos que ela recebeu pela rede. Em outra ocasião, ela respondeu a internautas que criticaram que dava para ver seu mamilo através da blusa que usava em uma foto postada no Instagram.

“Eu sei que vocês podem meu mamilo? Primeiro, eu não sei porque as pessoas ligam tanto para besteiras como essa. Se um mamilo te fascina tanto assim, curve seu queixo um pouco para baixo e olhe para o seu próprio,” disparou a sueca de 19 anos em resposta.